quarta-feira, 25 de junho de 2014

Fridolatria


Há muito, numa tentativa de pós-graduação, conheci Frida Kahlo. Assisti também ao filme. Estava aguçada a curiosidade por aquela irreverência, aquela dualidade. Sua vida e a minha não se pareciam... mas quem não sofre? quem não procura seguir adiante, ainda que a vida o empurre? quem não ama? 

Eu quis materializar minha leitura, pintar com as minhas cores...


 

Então surgiram as primeiras...


 O modelo com pesinho dentro para ficar perto do computador, paradinha ali e inspirando o dia a dia.


 Em outros tons...


 Natal... e lá estava ela..

 

Elas... mais um tamanho, mais outro... e a pequenininha, que chamo de minimini...



Uma família de Fridas, cheias de cor...

 

Para usar nos cabelos ou como porta-alfinete...



E me vi fridólatra... estava viciada...

 

Fridava para brincar... 

 


E agora, decoro também meu próprio atelier...




  e crio uma de cada vez...

  Doris Day




Ocorreu um erro neste gadget